TERMO OUTORGAR NOS CONTRATOS DE COMPRA E VENDA

Pesquisando na internet encontrei um texto referente ao uso do termo "outorgar" nos contratos de compra e venda de imóveis. De propriedade do oficial de registro de imóveis Carlos Alberto Cordeiro dos Santos, este analisa o contrato de compra e venda de imóveis no texto "A Difícil Arte de Lavrar Contratos ".
Segundo análise, se estamos tratando de uma compra e venda de imóveis não podemos tratar vendedor e comprador como outorgante e outorgado pois sendo o contrato bi-lateral onde uma parte se compromete a vender e entregar o objeto vendido e a outra a comprar e pagar o preço acertado, então estamos diante de um contrato que gera obrigações de ambas as partes, isto é, um contrato que no direito entende-se como "sinalagmáticos" onde um se obriga a transferir o domínio e o outro a pagar certo preço pela coisa(Código Civil 2002).
Segundo o mesmo texto um exemplo de contrato em que encontramos o outorgante e o outorgado é o contrato unilateral de doação de imóvel. Neste contrato não há contrapartida e portanto existe a figura do outorgante e outorgado.
Como costumo encontrar modelos de contratos de compra e venda com o termo "outorgante e outorgado" achei interessante postar aqui visto que nem tudo que lemos na internet deve ser levado a sério e importante se faz que pesquisemos nos sites sérios e com certeza um texto de um oficial do registro de imóveis é garantia de informação correta.
Abaixo, um exemplo de como deve estar escrito:
"Escritura pública de Compra e Venda que outorgam Fulano de Tal e sua esposa, como vendedores e fulana de Tal, como compradora."

Comentários

  1. Boa tarde !!
    Minha inquilina faleceu, morava com a filha maior de idade e com a mãe, sei que já fica sub-rogado a locação, porém não sei qual documento elaborar para efetivar esta sub-rogação não encontrei nenhum modelo disponível
    Como proceder uma vez que quem pagará os aluguéis será a mãe a partir de agora ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, faça um aditivo contratual substituindo a locatária falecida pela mãe e a filha. Como ambas seguirão residindo no imóvel, ambas devem constar como locatárias solidarias tendo a filha renda ou não e também faça constar neste aditivo que elas assumem a responsabilidade de cumprir todas as clausulas do contratos até. Eu faria novo contrato, mas é opção sua.
      Abraços

      Excluir

Postar um comentário

Os assuntos relativos ao Ramo Imobiliário envolvem legislação geral, legislação especial, prática no mercado, decisões judiciais, jurisprudência dos tribunais e análise especifica de cada situação que em cada estado do Brasil pode ser diferente e com o tempo vai se modificando e aqui não podem abranger 100% do que você precisa saber. NUNCA utilize o que for publicado como solução definitiva. Aqui você encontra um caminho para entender um pouco sobre imóveis. Não nos responsabilizamos pelo uso indevido das informações prestadas. Entenda seu problema e busque a solução junto a um profissional de sua confiança.
Este site pertence ao Google que pode coletar informações sobre quem o acessa como sua localização, tempo que ficou no site e em cada página visitada, o que pesquisou. Essas informações visam direcionar os assuntos para o que as pessoas mais procuram. Não deixe de visitar a página de privacidade e saber mais sobre como tratamos seus dados.

Comentários e dúvidas serão respondidas dentro de 48h e o email fica a disposição caso não houver retorno
Email: mcamini150@gmail.com

POLITICA DE COOKIES

Este site usa cookies e armazena dados como endereço do IP e localização para fins de melhorar o conteúdo específico e a visitação.Em respeito aos leitores não armazeno dados pessoais. PROSSIGA SOMENTE SE VOCÊ CONCORDAR.
Maiores informações acesse POLITICA DE PRIVACIDADE.